PROTESTO

Não sei exatamente qual a validade ou o direito de estar fazendo esse protesto, mesmo assim segue... Segue o desabafo/protesto de uma cidadã com desejos, metas, objetivos e, sobretudo defeitos (seria a demasia destes que me impeçam de ir avante? Creio que não) e que no momento encontra-se num enorme conflito, penso ser conflitos referentes a patamares ainda não alcançados. Segundo a psicologia, no desenvolvimento de cada ser, aos 40 anos deva haver a estabilidade profissional, evidentemente que isso não é uma regra generalizada, contudo as condições atuais não oportunizam minhas capacidades latentes a desabrocharem e sendo assim, surge o questionamento: se faço parte do universo e esse ao mesmo tempo faz parte de mim, de que maneira posso desvincular sentimentos, emoções, desejos ao afirmar que a felicidade é interna já que tudo é um conglomerado? Afinal... Somos partes que se integram num imenso universo ou somos inteiros que se misturam nesse mesmo universo? Como posso manter a auto-estima elevada buscando um alinhamento interno se o externo intercala com o interno em tempo integral? Embora entenda que cada um viva o seu momento e supostamente deva-se impor uma conduta do bom viver, fica complicado personalizar essa soberania diária e constante de comportamento, por conta das diversas mudanças ocorridas constantementes no nosso dia-a-dia.
Seriam formas de pensamentos negativos ou há fundamentos neste contexto louco e inconstante do qual faço parte?
Eis as questões!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A TROCA

19

VIAGEM