Postagens

Mostrando postagens de 2012

CELEBRAÇÃO

Momento de regozijo. Como compreender? Dos sentimentos atrozes às emoções refinadas. Esse é o trânsito natural nesse período onde a sensibilidade aflora inesperadamente. É nesse ínterim que a paz, a civilidade, a plenitude e, sobretudo o amor despontam amaciando o olhar, colorindo o riso, fortalecendo o abraço, intensificando o perdão, glorificando o afeto. É um verdadeiro enredado de cores vibrantes. É o badalar dos sinos que ressoa aos quatro cantos. São anjos, querubins, serafins, orixás, santos, fadas, gnomos que comungam dos mesmos desejos direcionando-os à uma força maior. Os deuses internos que ontem sabotavam em delírios exaltando percepções alheias, hoje em estado viril permeiam em solicitude. É a natureza imortalizando em sua excelência o improviso do impossível e contracenando com a pureza d'alma de cada ser. É exalar pela porta universal os mais belos sentimentos. Os elos se fortalecem... As correntes se formam. Verdadeira contemplação! Não se compreende esse momento. …

FÔLEGO

Ele se mostrava rude. Definitivamente distante. A vida o colocava em armadilhas que sua franzina compreensão o destoava da realidade. Movido por desejos infames e incansáveis devaneios, refletia com ardor. Sabia que esse mergulho perpetuaria em resultados salutares. Ativamente aguardaria o benefício.

A FLOR

Fitei por horas. Seu desenho belo e encantador enfeitiçou-me Meus olhos marejaram embevecidamente Pétalas adocicadas suavam gotículas de ternura Exalava uma fragrância que entorpecia meus sentidos O êxtase absorto comungava do mesmo gáudio A unidade plasmou um imenso jardim E de súbito levitei,  Sobrepujei num mar de rosas brancas Embriagando-me da brandura que dissipava Momento uno... Momento reflexivo...  Momento de grande júbilo!

MEU ÍNTIMO

Imergi profundamente. Busquei chispa de luz e encontrei mínimos gravetos incandescentes. Permaneci inexpressiva por algumas horas. Só observando. Sensação de desconforto, sentimentos nulos, soluços inalterados, todos se alojavam no pátio ilimitado do meu ser. E compreendi que nesta cela de estímulos diversos pernoitavam desfechos que a minha limitada visão não os via. Neste momento as sombras ganharam transparência e uma sensatez translúcida. Emergi.

DORES E AMORES

Depois de me perder  nunca mais fui o mesmo naquele mar azul dos seus olhos meu porto seguro encontrei!
Perder um amor entristece a alma  mas nada como um novo para ressuscitá-la!
Sorriso abrasador que queima-me por dentro tirando-me da dor foi assim que me apaixonei por essa flor!
Linda e graciosa, brotou de repente na minha vida e coração como a mudança do inverno para o verão!
Apareceu de repente Como a luz em meio a escuridão minha mente se alegra  com essa bela aparição será que existe ou não?
No começo foi difícil assumir a relação pois a perda não deixou espaço no meu coração!
Vejo-a nas nuvens, no reflexo da água,  no ar, sinto-a numa linda canção de ninar!
Eu a vejo com olhares diferentes que ninguém o vê sou eu seu único amor que ninguém vai saber!
É um amor transparente um doce sonho ou um lindo pesadelo que ficará na minha mente por outras vidas em zelo!
E assim vou vivendo com esse louco amor que me devasta e alegra desaparecendo com a dor!
Poema de Victória Rosa e Luiza Ninck - 13 anos - 9º ano

SEM TÍTULO

No casco do acaso, é maduro, engulo. No teto do desejo amparo, encalho desfaço o traço engano o desprezo detono melancolias. E no elixir da vida
desfruto o apreço,
desço a encolha,
gabo as nuvens.
E meu sertão de 
caatingas vazias
suplica a pedra, 
a mão, a carícia!

SEM TÍTULO

Quis silenciar a alma recolhida no quarto sem paredes. Lembranças outrora  de primaveras, delgado leme da voz que ecoa, é alçar no deleite das alcovas ou peregrinar em olhares que divagam? Entre as teias que medram meus anseios, meus castelos repassam reflexões em neve dilatam as pupilas, despertam os girassóis e o no calar do meu ser, cresce em prece na melodia silenciosa do calor que aquece!

A JANELA

Por sua greta observo o mundo:
vejo a arrogância enaltecida,
a tristeza encabulada,
a supremacia desvairada,
turbulência descontrolada,
sobretudo,
no sorriso de uma criança:
vejo a paz que abranda,
a alegria que alivia,
a esperança que alenta,
a harmonia que acalma,
a ternura que sustenta,
a fantasia que aprimora,
o equilíbrio que alimenta.
Enfim, vejo a vida que pulsa,
que move, que anima, que aquece,
que embala, que excita, que agita!

CAUSA NOBRE

Imagem
Observa-se ultimamente através dos meios de comunicação a imprudência descabida de pessoas equivocadas que se utilizam da má conduta para maltratar animais. Pobres infelizes! Felizmente, o descomprometimento de alguns fortalece o comprometimento de muitos - verdadeiros seres humanos - imbuídos em salvaguardar animais que sofrem maus-tratos. A mobilização de vários grupos preocupados na defesa aos animais ocorreu hoje - 22/01 em várias cidades brasileiras. São manifestações assim, que demonstram verdadeiramente o singelo ato de fraternidade.  Afinal,  os animais são seres vivos instintivos, não possuindo o pensamento, privilégio de nós "pessoas" ditas racionais. Eles possuem a natureza como aliada; se alimentam, se reproduzem e morrem, como o ciclo natural da vida.   Que essas ações se multipliquem corroborando para a efetivação de uma legislação mais ativa quanto a penalização àqueles que cometem crimes contra animais. 
A foto acima foi tirada hoje - 22/01 - no Jardim de Alah …

TU

Quero sentir o teu suor juntar-te ao meu... 
Quero sentir o teu coração pulsando descompassadamente ao me sentir por perto... 
Quero olhar nos teus olhos e perceber tuas emoções, teus alentos, teus amores, teus desejos... 
Quero sentir teu perfume natural... 
Quero viajar nos teus lábios e sentir o gosto do amor... 
Quero beijar-te muito e descobrir quem és.

RIR

Fiz um convênio com o riso, Ele titubeou, por fim, consentiu. Gargalhamos noite adentro.