ISOLAMENTO




É contramão do descaminho
ultrapassando o mais alto dos cirros
e o silêncio que jaz em pergaminho
faz de mim caminhar em trilhos

Tamanha solitude que agita
em contrária lacuna indolor
receptiva proclamo...me ensinas?
debulhar em ti com ardor

Ralha em mim o silêncio que cala
convívio insólito das manhãs vazias
noites afins em claustro que valha
aceitar teu afeto, mas que ironia

O desencontro que me acalenta
faz de mim perder-te
e deste sol que ainda alimenta
um luar ilusório de querer-te

Habitual ares desenha um alento
costumeira me encontro e sigo
amar-me mais será meu intento
em solidão profunda, meu desígnio





***Inspiração ao poema NO COLO DO SILÊNCIO do poeta e escritor FACURI do Recanto das Letras.***






IMAGENS LIVRES: Disponível em . < br.freepik.com  > . Acessado em: 19/02/2015, 11h50min

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OUTONO

19

DOLORIDA