O ÚLTIMO ADEUS

Cinco minutos. Pouco tempo para a partida indesejada. Por que passaria por esse tormento? Ver a filha partir - mesmo sabendo que se tratava de uma proposta de trabalho irrecusável para atuar fora do país - mesmo assim, ainda era seu bebê. Embora atingisse a maioridade há seis anos, desatar esse laço seria como arrancar parte do seu corpo, e seu coração estava completamente dilacerado. Todavia, a filha sempre afável e gentil, compreendendo a aflição da genitora, suavizava com palavras de amor e afeto propiciando últimos instantes de harmonia e descontração. Não obteve muito sucesso! A mãe inconsolável despede-se da filha. Sorriso estampado no rosto da filha como se estivesse partindo para o sucesso, a glória, a libertação. As lágrimas no rosto da mãe denotando um sofrimento piedoso, de perda, de martírio; uma sensação de que jamais a veria novamente. Último olhar, último sorriso!
Horas após o embarque, uma pane, últimas lembranças, o olhar e o sorriso estavam vivos e permaneceriam.
A filha libertava-se, a mãe consolava-se!

Comentários

Maria Muadiê disse…
Sandra, separações são tão difíceis!
Ontem o gato daqui de casa saiu pela primeira vez.
Todo mundo sofreu ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A TROCA

19

VIAGEM